domingo, 14 de agosto de 2011

PAI



 
Jeito duro de encarar a vida
Firmeza no que diz e no que faz
Dificuldades já vividas
Enfrentadas com força apraz

Suor e lágrimas derramados
Pela incerteza do ter
O pão de cada dia para a fome satisfazer

No jogo da vida
Sempre vence o mais forte
Não importa a partida
Ou vence ou morre

A fé em Deus é sustento
Que alimenta a alma
Dando forças ao alento
Da incerteza que abala

Porto seguro encontrei
Na presença singular
Do homem que amei
Como Deus em meu lar
Imperfeito só quem é
Em busca de perfeição
Deus o contemplou
Com um bom coração

Da grandeza de ser Pai
Tem a honra de ser avô
Amando os seus netos
Como um intercessor

Difícil de perdoar
Pois a vida lhe fez sofrer
De homens injustos
Até padecer...

Deus está fazendo em seu coração
Uma obra nova
Trazendo perdão.

Autor: Girlene Edson de Oliveira Amaro

Um comentário:

  1. Parabéns pelas belo poema!Um abraço.

    ResponderExcluir